Naviraí/MS, segunda-feira 8 de agosto de 2022

Pré-candidatos viajam em avião de família de empresário alvo de investigações

Da redação, em

O juiz aposentado e pré-candidato ao Senado Odilon de Oliveira (PSD) e o pré-candidato ao Governo e ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), foram flagrados usando aeronave de empresa da família de José Carlos Lopes, conhecido como 'Zeca Lopes', investigado por sonegação fiscal e alvo de uma operação autorizada em 2017 pelo próprio Odilon.

De acordo com o Campo Grande News, os dois viajaram pelo Estado numa aeronave Hawker Beechcraft, com capacidade para cinco pessoas.

O avião tem como proprietária a JCG Participações e Empreendimentos Ltda, que tem como proprietárias segundo a Receita Federal, Caroline Barbosa Lopes Farias, Juliane Barbosa Lopes Peró e Gabrielle Barbosa Lopes da Costa, filhas de Zeca Lopes.

Em entrevista ao portal, o juiz aposentado confirmou o uso da aeronave, porém, negou saber de quem era.

“Efetivamente, andei num avião para Dourados, Corumbá e Três Lagoas, mas de carona com o Marquinhos. Se soubesse que seria avião de pessoa que já atuei como juiz, evidente que não voaria,  é lógico. Como vou adivinhar de quem é? Fiquei sabendo agora”, disse o juiz aposentado.

Marquinhos Trad não respondeu ao contato da reportagem do portal.

Labirinto de Creta

Zeca Lopes foi alvo no dia 28 de julho de 2017 da operação Labirinto de Creta 2, em que força-tarefa, formada por PF (Polícia Federal), Receita Federal e MPF (Ministério Público Federal), investigou sonegação de milhões, após autorização do juiz federal Odilon de Oliveira.

Réu por sonegar R$ 113 milhões entre 2012 e 2017, Zeca Lopes constituía empresas, muitas das quais compostas por seus familiares próximos (filhas, esposa e irmãos), para escapar à responsabilidade patrimonial de dívidas fiscais, trabalhistas e cíveis.

Além da sonegação, em outubro de 2017, José Carlos foi condenado a 19 anos por estupro de meninas. Na sequência, no ano passado, o TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) determinou pena um pouco menor: 18 anos. O empresário está em liberdade e recorreu ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).

[caption id="attachment_5452" align="alignnone" width="640"] Marquinhos Trad a caminho do avião - Foto: Divulgação[/caption]

Compartilhe
Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram
Print
Email

Fonte:

Dourados News

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

#Veja tambem