Naviraí/MS, segunda-feira 8 de agosto de 2022

Mais de 340 mil proprietários de veículos deverão quitar o licenciamento no próximo mês

Neste primeiro mês do calendário de licenciamento, o valor cobrado será de R$ 205.34.

Da redação, em

A partir do dia 1º de maio, começa a valer o calendário de licenciamento 2022, para veículos com placas final 1 e 2, em Mato Grosso do Sul. O alerta é do Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) e de acordo com o órgão, 340.313 proprietários deverão colocar o tributo em dia no Estado.

O valor do licenciamento é o mesmo para todos os tipos de veículos e é regulado por meio da UFERMS (Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul). Neste primeiro mês do calendário de licenciamento, o valor cobrado será de R$ 205.34.

O CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo) é uma autorização para que os veículos possam continuar a trafegar pelas ruas e estradas. Seu porte é obrigatório e deverá ser apresentado à autoridade de trânsito sempre que solicitado. Desde o ano passado, para segurança e comodidade dos condutores, é possível que o documento seja apresentado em seu formato digital, por meio da CDT (Carteira Digital de Trânsito), aplicativo desenvolvido pelo Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) para o Ministério da Infraestrutura.

A data de vencimento de cada documento varia de acordo com o dígito final da placa do veículo. O licenciamento pode ser pago em qualquer Agência do Departamento ou na rede bancária credenciada: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Casas Lotéricas e Banco Postal dos Correios e Rede Pague Fácil. Também pode ser pago por meio de aplicativos de banco com a utilização do código de barras ou QR Code para o pagamento por pix.

Infração: O motorista flagrado circulando com veículo não licenciado comete uma infração gravíssima. O art. 230 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê aplicação de multa de R$ 293,47.

Compartilhe
Compartilhe
WhatsApp
Facebook
Twitter
Telegram
Print
Email

Fonte:

Correio do Estado

Deixe seu comentário

Deixe seu comentário

#Veja tambem